Inteligência e Coragem

01/02/2017

Meu nome é João Mauro, sou técnico em eletrônica em São Paulo e tenho um cão da raça Akita que esta hoje com 4 anos chamado Shiro o resto do nome nunca me preocupei em gravar, é um nome enorme que veio no pedigree dele do canil onde o comprei filhote ainda e que nunca achei importante gravar de cabeça já que chamamos ele de Shiro, ele é branco, inteligente e muito corajoso, senhores peço que o que vou relatar seja se possível publicado neste site maravilhoso dedicado a raça Akita, de antemão agradeço e parabenizo a todos os envolvidos na confecção e atualização do site, o qual acho primoroso e muito bonito, que traz informações úteis a quem ama esta raça de cães tão especial e singular.

Bom vamos ao ocorrido, durante toda sua vida meu cachorro nunca fez nada de excepcional, sempre foi dócil, atencioso e ativo, adora tomar banho, brincar com bolas, ossos de couro e se deixar á mão tênis e sapatos da família, é um animal alerta e já deu vários sinais importantes alertando sobre possíveis invasores, moramos na zona leste de SP uma região perigosa para assaltos e roubos a residência, mas o fato que me fez querer contar a passagem ocorrida conosco foi bem diferente de um assalto ou roubo.

A minha rua fica em um bairro considerado de classe média na zona leste, na região de São Miguel Paulista, tem boas casas, bons estabelecimentos comercias e muito movimento a semana toda, é gente que não acaba mais, porém por ser uma região perigosa, é dificil uma casa que não tenha um cão grande, para fazer a ‘segurança’ da residência e de seus donos, com vários pitbulls raça que não me atrai muito pelo poder de agressividade.

O dia é 10 de fevereiro de 2007 um sábado, eram por volta de 2 da tarde, e fazia um calorzinho muito bom, o pessoal estava ativo na nossa rua, tinha uma festinha no vizinho da esquina, me pareceu uma festa de aniversário e tinha muitas crianças em frente a casa e na calçada, eu acabara de lavar meu carro e estava arrumando-o por dentro para sairmos, quando escutei o primeiro grito de “tira ele, tira ele”, sai do carro e me levantei para olhar o que estava acontecendo e vi um tumulto em frente a casa de nosso vizinho da esquina.

A cena não foi das mais agradáveis, um cão da raça pitbull marrom estava mordendo uma das crianças da festa na calçada ele pertence a outro vizinho próximo, o cachorro estava alucinado, rodando o garoto no ar como se fosse de pano, com um monte de gente em volta chutando o cão, batendo e gritando tentando soltar ele do garotinho que não devia ter mais do que 6 anos de idade, o dono do pitbull estava livido sem saber o que fazer, fiquei gelado sem saber se ia ajudar ou chamava a polícia quando vi uma objeto grande branco passar por mim como um raio, era meu cachorro Shiro ainda preso na guia e minha esposa atrás, ela tinha posto ele na guia para levar até o carro pra dar uma volta.

Ele disparou na direção do tumulto e se atracou com o pitbull, senhores sou um homem de 32 anos, casado e pai de uma mesticinha linda pois minha esposa é gaijin e eu sou decendente de japoneses e nunca vi o relato do que estou para contar em lugar nenhum em minha vida, o Shiro mordia a cabeça do pitbull de forma que ele solta-se o menino já muito machucado, meu cão tanto fez que arrancou o lábio superior do pitbull e ele soltou o menininho já desfalecido, foi um Deus nos acuda, uns correndo com o garoto e outros torcendo pelo Shiro, em resumo os bombeiros chegaram chamados pelos vizinhos, conseguiram tirar o Shiro de cima do pitbull e vice-versa, o pitbull foi levado para a zoonoses, e Shiro ao veterinário e esta bem já recuperado de seu ato de bravura.

Hoje o garotinho vem brincar com ele aos finais de semana e eles se dão muito bem, o pai e mãe do garoto enchem o Shiro de mimos e guloseimas, nós somos agora donos mais do que orgulhosos de nosso cão herói e cientes de que escolhemos a melhor raça do mundo para nos proteger e a nossa família, não sei se conscientemente meu cão sabia o que estava fazendo, também não sei se ele vislumbrou nossa filhinha na pele do menino e teve o ato generoso de defender o garotinho, não sei se foi um ato de pura bravura alidado ao instinto de defesa, não sou comportamentalista canino ou expert em Akitas, mas sei do seguinte senhores, meu cão salvou a vida do pequeno Vitor de 6 anos e meio e nos encheu de orgulho e gratidão, bem como os pais deles nossos vizinhos e amigos.

O pitbull chamava-se Thor e tinha escapado pelo portão semi aberto, ele ficou em observação e foi levado para tomar conta de uma chacara no interior de SP.

Obrigado

Atenciosamente

João Mauro Utada – São Miguel Paulista – SP

O Clube do Akita recebeu a história acima por email com a permissão de publica-la, esta sessão tem a intenção de mostrar a ligação de amor, amizade e companheirismo que esta raça nos dedica sem nada cobrar em troca a não ser nosso carinho e respeito . Viva os Akitas!

Administrador